O DESEMPREGO E A SAÚDE MENTAL DO TRABALHADOR: IMPACTOS E ENFRENTAMENTOS

Autores

Palavras-chave:

Trabalho, Desemprego, Saúde Mental

Resumo

O desemprego como fenômeno estrutural do sistema de produção capitalista vem sendo um tema cada vez mais estudado no campo das ciências humanas e sociais, mas que demanda mais estudos no campo da psicologia, face aos inúmeros danos à saúde mental causado às pessoas que estão fora do mercado de trabalho.  O presente documento apresenta os resultados de um trabalho realizado no âmbito de um Programa Institucional de Iniciação Científica que teve como objetivo identificar as consequências do desemprego sobre a saúde mental dos trabalhadores, buscando ainda investigar junto a pessoas desempregadas o significado que o trabalho e o desemprego têm para elas; os tipos de agravos à saúde mental mais recorrentes, quando presentes e; verificar as formas de enfrentamento à situação de desemprego. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo em que foram entrevistadas cinco pessoas com idades entre 27 e 59 anos que estavam desempregadas entre 4 meses a 4 anos, utilizando roteiro de entrevista semiestruturada. Pelas análises das entrevistas foi possível concluir que o contexto de desemprego e a falta de apoio institucional deixam o trabalhador bastante vulnerável quanto à manutenção da sua saúde mental. Apresentam-se ao final algumas propostas de intervenções institucionais possíveis para o atendimento a necessidades dessa população.

Downloads

Publicado

2021-12-21