TURKERIZAÇÃO E GESTÃO ALGORÍTMICA DO TRABALHO EM PLATAFORMAS DE MICROTAREFAS

DOI: https://doi.org/10.33872/conversaspsico.v1n1.turkerizacao

Autores

Palavras-chave:

Plataformização, Gestão Algorítmica, Microtrabalho, Economia de bico, Turkerização

Resumo

No Brasil, quando tratamos da plataformização do trabalho, é ainda incipiente a literatura sobre o fenômeno que denominamos turkerização do trabalho, relacionado à terceirização de microtarefas em plataformas específicas, como Appen e Amazon Mechanical Turk, por exemplo. Por meio de um estudo teórico-reflexivo, objetivamos demarcar algumas particularidades do trabalho turkerizado, de maneira a contribuir com a exploração da heterogeneidade e polissemia que assume a noção de trabalho digital na atualidade.  Ao passo que representa a radicalização da flexibilização do trabalho, compreendemos a turkerização como o arquétipo de formas de trabalho que parecem se proliferar em nossa sociedade, marcadas notadamente por algumas características centrais: 1) o trabalho tende a ser cada vez mais encarado como serviço; 2) exacerba-se a competição a ponto de trabalhadores de diversas geografias do mundo concorrerem entre si, em tempo real, na busca por rendimentos financeiros; 3) os processos de trabalho são cada vez mais condicionados pela gestão algorítmica, o que limita as vias de comunicação entre os trabalhadores, coloca obstáculos à mobilização coletiva e produz efeitos paradoxais no âmbito das dinâmicas de prazer, sofrimento e reconhecimento no trabalho.

Downloads

Publicado

2021-06-18